quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Coitado do Aldovandro!


No conto ‘’O colocador de pronomes’’, de Monteiro Lobato, o jovem Aldovandro Cantagalo deseja namorar Laurinha, a filha mais bonita do coronel Triburtino Mendonça e escreve-lhe um bilhete que dizia o seguinte:

‘’Anjo Adorado! Amo-lhe...”

O coronel ao descobrir o bilhete, indaga o rapaz sobre suas intenções e diz que agora ele tem que casar e chama a Do Carmo (filha feia). O jovem fica surpreso e o velho diz:

... Você mandou este bilhete à Laurinha dizendo que ama-”lhe”. Se amasse a ela deveria dizer amo-”te”. Dizendo “amo-lhe” declara que ama a uma terceira pessoa, a qual não pode ser senão a Maria do Carmo.

Resultado?
Aldovandro teve que se casar com a feiosa da Do Carmo.



Viu a conseqüência de uma palavra mal colocada?



3 comentários:

Mima disse...

Kkkkkkkkkkkkkkkkk!! show de bola!

betty disse...

Esse conto é mesmo genial, Brunno.
Para falar a verdade, li há tanto tempo que nem lembrava mais, e graças a você ele me voltou à memória.
beijinho

Nathi disse...

Caramba!!!

Pra isso serve o verdinho quando se escreve eraado no Word...Não consultou, dançou!

Demais!

;)