segunda-feira, 22 de abril de 2013

Dor profunda

Uma dor profunda, um nó na garganta e um aperto no estômago - eu senti depois de ler uma notícia e ver um vídeo onde um jovem homossexual se jogou de uma torre como forma de acabar com o sofrimento de uma vida de rejeição por conta de sua opção sexual. A vida não devia ser assim. A morte não deveria vir como resposta pela falta de compreensão. Todos os valores de humanidade caem na insignificância quando não conseguimos salvar alguém de um destino como esse. Não há lei, religião, ou discurso que me não faça sentir-me um lixo ao ver que pessoas perdem suas vidas por que outras tantas se ocupam em apontar dedos sem estender a mão. Luto diariamente contra todos os meus paradigmas, pois nada é impossível de mudar. Senti algo semelhante ao ouvir a canção ''Zumbi'' e imaginar o que nós, brancos, fizemos com o povo negro ao longo da história. Não devia ser assim. Eu não quero viver num mundo assim, não quero contribuir para um mundo como esse. Esse peso eu não pretendo carregar. Qualquer um que vier a mim, eu abraçarei, por que somos todos iguais. Eu não quero ver outros se jogando de torres, de prédios, de pontes; eu não quero ver meus semelhantes sendo cuspidos, espancados ou menosprezados. A cena não sairá tão cedo da minha mente. Pessoas morrem mais rápido sempre que o preconceito reina.


***
Tentei amenizar a minha dor ouvindo essa versão de ''Stand by me''. Por favor, me ajudem a acreditar que tudo pode ser diferente!

Nenhum comentário: