quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

SE

Se o amor for do tamanho da preocupação que eu tenho por você. Se o amor for tão dolorido quanto essa angustia de estar longe. Se o amor for essa certeza de que eu quero tanto quanto você quer. Se o amor for essa teimosia de insistir naquilo que parece impossível. Se o amor for esse desejo insano que aumenta na mesma proporção que a saudade. Se o amor for um monte de palavras trocadas de todas as maneiras que a tecnologia permite. Se o amor for essa ansiedade por notícias ou por qualquer sinal que venha de você. Se o amor for essa admiração à sua coragem de ir em busca daquilo que você quer. Se o amor for uma espécie de atestado de loucura, um convite à insanidade de desejar ardentemente uma pessoa. Se o amor for essa decisão de não querer se quer ficar com outra pessoa. Se o amor for entender por que você ainda não decidiu ficar comigo. Se o amor for não entender por que você ainda não decidiu ficar comigo. Se o amor for a capacidade de abrir mão de você para que você tenha paz. Se o amor for esse nó na garganta, esse aperto e essa vontade de gritar. Se o amor for não deixar de me importar com você. Se o amor for escrever textos secretos sem poder dizer seu nome. Se o amor for as inúmeras formas que meu corpo reage ao seu. Se o amor for contar as horas e os dias exatos do nosso último encontro. Se o amor for entender a sua linguagem. Se o amor for ouvir o seu silêncio. Se o amor for o silêncio no momento de euforia no sexo. Se o amor for abrir mão dos privilégios do machismo para que você reine. Se o amor for o desejo te oferecer um mundo totalmente novo. Se o amor for querer você mais alto. Se o amor for a visão de um futuro incrível. Se o amor for o arrependimento pela forma que entramos na vida um do outro. Se o amor for a compreensão de que entrar na vida do outro foi inevitável. Se o amor for encontrar razão para não desistir. Se o amor for o próprio receio de dizer eu te amo. Se o amor for uma série de coisas que não se pode medir. Se o amor for todas as atitudes que não cabem no certo e no errado. Se o amor for não trair os nossos próprios desejos. Se o amor for a pretensão de ser o seu último homem. Se o amor for o motivo de todas as perguntas. Se o amor for a surpresa de sentir algo novo. Se o amor for essa cegueira para todos os outros rostos. Se o amor for o encaixe milimétrico dos nossos corpos. Se o amor for um lugar com você. Se o amor for o que não sei discernir... e pouco de tudo isso, (...) então, eu amo.


...

Nenhum comentário: