sábado, 11 de junho de 2016

A PRIMEIRA VEZ

A gente compreende que tudo na vida tem uma primeira vez. O primeiro dia de aula, a primeira viagem, o primeiro amor. São experiências que marcam e que vão dando sentido a nossa trajetória.

Somos movidos por decisões e a vida nos cobra a todo momento a capacidade de tomarmos as decisões certas. É uma conta simples que nos pressiona a minimizar as falhas e sempre buscar o sucesso em tudo. Mas qual a garantia que temos disso?

Antes de acontecer aquilo que tanto esperamos existe um longo caminho que foi trilhado. Às vezes, se quer, damos conta disso. Temos a ideia de que as decisões que tomamos, bem com as suas consequências, é que são os fatores que definem a nossa história. Mas se pararmos para pensar, as coisas que deixam de acontecer têm um poder incrível de definir quem somos e seremos.

Analise: aquele curso que você não escolheu, aquele namoro que não continuou, aquele casamento que não aconteceu, aquela pessoa para quem você não se mostrou, e tantas outras coisas, será que não foram exatamente elas que te trouxeram até aqui?
 
Muito mais importante do que a chegada é saber aproveitar o ritmo da viagem. A vida é curta demais para enchermos nossos dias de ressalvas e reservas. Para tudo existe uma primeira vez, não é o que dizem?
 
A vida não um roteiro já escrito. É preciso criar a leveza. E necessário cultivar a sensação do inesperado. E saber a hora certa de cada coisa. O momento mais importante de ser, estar e fazer. E assim, valorizar cada passo, mas um passo por vez. Assim como o ‘eu te amo’ que após sua primeira menção já quer dizer um pouco menos.

__

Nenhum comentário: