sexta-feira, 24 de abril de 2009

Repúdio ao plágio (4)


Amigos e amigas

É cada vez mais deprimente ver o que as pessoas são capazes de fazer a fim de sustentar uma máscará, uma ilusão.

As acusações contra mim continuam Aqui e mais recentemente Aqui.


Tolo será aquele que julga que minha intenção ao criar um blog e postar meus textos nele era a de conseguir mais visitas (?!). Essa é para mim uma postura fria, antiética, típica dos parasitas - ávidos por sangue, neste caso visibilidade, status, elogios!

Recordo-me agora de minhas próprias palavras:

''Que tipo de escritor eu sou? Eu sou daqueles que não consegue escrever por encomenda ou por hobby - não consigo! Escrevo como parte daquilo que experimento. Não sou robô. Boa parte do que escrevo se relaciona com minhas práticas no dia-a-dia, com o que vejo ao meu redor, com o que sinto, com o que cheiro... Com aquilo que vejo nas pessoas e suas trajetórias, em seus problemas, em seus casos e acasos''.

Para tanto, reitero minhas palavras:

''... Sou um escritor de olhos aguçados, ouvidos atentos, cérebro firme e pronto para criar. Para construir meus textos acredito numa postura crítica, mas ao mesmo tempo sóbria a ponto de não se achar superior ao fato, pessoa ou tema analisado.''

Confira este texto na íntegra: Aqui


Por isso, caro leitor (a), não pense você que escrevo textos na intenção de comprar seus comentários, suas críticas ou admiração. Acredito na criação livre, sem regras, sem segundas intenções. Escrevo para mim mesmo, talvez como fuga, talvez como alívio, sempre por prazer, para sobreviver poéticamente no meu próprio universo.

Não faço barganha!








4 comentários:

Van disse...

Querido,
estou super solidária ao teu caso de plágio. Passei por isso não faz muito tempo. Mas fui até o fim. A maluca que me plagiou foi parar na lama. É uma doente. Louca. Mas teve o que merecia. Se você precisar de algum tipo de ajuda, dica ou qq coisa.... estou aí pro que eu puder ajudar.

Boa sorte e acredite: se te copiam é pq vc é bom. Não é bem um consolo pra essa raiva que dá, mas vá até o fim. Não deixa barato. Lute pelo que é seu.

Beijucas

maristela disse...

Brunno. Não se cale. Não se intimide. Não faça o jogo dos que gritam e/ou choramingam em busca de aceitação. A verdade SEMPRE vem.
abs

Luci Lacey disse...

Brunno

Aceitar o erro e complicado para muita gente.

Mas a verdade, prevalecera.

Beijinhos e boa semana

david disse...

Brunno,

Estou quieto e acompanhando, mas começaram a bater em pessoas que me são caras.

Logo, se precisar de uma forcinha básica, estamos por aí.

Só uma coisa: não uso meias palavras....nunca!