sexta-feira, 24 de junho de 2016

PASSA


e depois de quase 400 poemas
eu percebi que a minha poesia
é uma poesia bem fodida
daquelas que eu só falo pros
meus amiguinhos de escola
ou de prosa
e que falar só de si mesmo
é tão pequeno
e que falar nó de si mesmo
é tão veneno
e que é tão fácil
rimar pequeno com veneno
que o que eu queria mesmo
era que essa
poesia que eu reclamo
fosse mais comestível
pro homem maltrapilho que
p    a    s    s    a
e pra mulher que eu mau
olho nos olhos
na pressa de voltar pra
casa.


_

Nenhum comentário: