terça-feira, 24 de novembro de 2015

PARA ESCREVER É PRECISO LER

A escrita nunca deve ser encarada como um processo aleatório, isolado ou desassociado de quaisquer outros processos que envolvam o intelecto, a cultura, ou o espírito do ser humano.


É justamente por não ser um ato pragmático que a escrita se entrelaça com a leitura. É impossível separar um bom escritor de um bom leitor. Aliás, ao investigarmos a vida dos grandes escritores da nossa língua descobriremos que eles eram ótimos leitores.


Devemos saber que é praticamente impossível que um mal leitor consiga escrever com qualidade e precisão. Isso fica evidente quando pessoas ficam desesperadas ao ter que produzir uma redação para concurso, vestibular ou processo seletivo.


O fato é que se alguém não consegue desenvolver o habito da leitura estará diminuindo consideravelmente os seus recursos no momento em que for exigido por meio da escrita. Quando lemos vamos construindo um repertório de expressões, ideias, conceitos, palavras, argumentos que nos servirão de base para outros textos nas mais variadas situações.


Muito além dos recursos linguísticos a leitura nos dará conhecimento, experiência e precisão. E estes valores serão primordiais para a elaboração de um texto mais coeso, mais claro e com potencial para produzir reflexão em um maior número de leitores.


O texto precisa agregar valor, direcionar o pensamento à reflexão. Todo texto deve ter ainda um ''quê'' de sublimação, aquela sensação de elevação, de fazer o leitor flutuar, imaginar e ir reinventando a si mesmo ao longo dos parágrafos.


Vale salientar que um leitor descomprometido é tão passivo quanto um escritor despreparado!


---

2 comentários:

luma rosa disse...

Oi, Brunno!
Vida longa no novo endereço!

Brunno Soares disse...

Obg, Lu .... vamos estar por aqui agora... um cheiro pra vc